Ferramentas Pessoais

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Você está aqui: Entrada / Estórias e Memórias / Pontos de Interesse / Moreira / Praça do Exército Libertador

Praça do Exército Libertador

Um pouco à semelhança de artes como a pintura e a escultura, os espaços tambem contam História. As grandes revoluções e contra-revoluções da História de Portugal passaram quase obrigatoriamente pelo norte do país. A Maia, também ela, foi palco desse tempo que ainda hoje se constrói. O Parque de Pedras Rubras é disso exemplo flagrante. Em 1832, D. Pedro desembarcou com o exército Liberal em Pampelido (Mindelo). As tropas do então regente do reino, em nome de D. Maria Glória, acamparam nesta praça, preparando então o que viria a ser a implantação do regime liberal e o consequente afastamento de D. Miguel. Hoje as revoluções são outras. Todas as semanais, à Quinta Feira, o parque recebe uma feira, a mais tradicional do Concelho. A partir das seis da manhã vende-se ali um pouco de tudo, desde roupas a alimentos. Semeado de árvores, o parque tem em cada extremidade uma igreja: a capela de Nossa Senhora Mãe dos Homens e a capela do Cristo Rei de Pedras Rubras e ainda o Nicho das Alminhas, únicas testemunhas de toda a actividade secular que o parque proporciona.

Do passado, restam apenas as imagens que o mestre Albino José Moreira (1895/1994) nos transmitiu em aguarela, onde podemos acompanhar não só a evolução do parque como também da sociedade local, que vê hoje os seus hábitos completamente modificados em relação ao início do século.

Location

  • Um pouco à semelhança de artes como a pintura e a escultura, os espaços tambem contam História. As grandes revoluções e contra-revoluções da História de Portugal passaram quase obrigatoriamente pelo norte do país. A Maia, também ela, foi palco desse tempo que ainda hoje se constrói. O Parque de Pedras Rubras é disso exemplo flagrante. Em 1832, D. Pedro desembarcou com o exército Liberal em Pampelido (Mindelo). As tropas do então regente do reino, em nome de D. Maria Glória, acamparam nesta praça, preparando então o que viria a ser a implantação do regime liberal e o consequente afastamento de D. Miguel. Hoje as revoluções são outras. Todas as semanais, à Quinta Feira, o parque recebe uma feira, a mais tradicional do Concelho. A partir das seis da manhã vende-se ali um pouco de tudo, desde roupas a alimentos. Semeado de árvores, o parque tem em cada extremidade uma igreja: a capela de Nossa Senhora Mãe dos Homens e a capela do Cristo Rei de Pedras Rubras e ainda o Nicho das Alminhas, únicas testemunhas de toda a actividade secular que o parque proporciona.

    Do passado, restam apenas as imagens que o mestre Albino José Moreira (1895/1994) nos transmitiu em aguarela, onde podemos acompanhar não só a evolução do parque como também da sociedade local, que vê hoje os seus hábitos completamente modificados em relação ao início do século.

    0.0 0.0