Ferramentas Pessoais

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Você está aqui: Entrada / Notícias e Eventos / “Bouça da Cova da Moura: diziam os antigos que ali habitavam os mouros”

“Bouça da Cova da Moura: diziam os antigos que ali habitavam os mouros”

Exposição patente no Museu Municipal da Maia até 28 de fevereiro de 2015, com entrada livre.

A Bouça da Cova da Moura é um sítio arqueológico que se localiza no lugar de Ardegães, freguesia de Águas Santas, concelho da Maia.

É um local que, pelas descobertas arqueológicas efetuadas, foi ocupado sucessivamente por diferentes comunidades humanas ao longo da história mediante incorporação/utilização do pré-existente e nunca de anulação/destruição.

Esta ocupação é documentada pela existência de uma necrópole megalítica e dos objetos ligados à prática funerária, como os machados de pedra polida do Neolítico; fragmentos de cerâmica decorada de tipo Penha e de tipo Campaniforme do período Calcolítico; fragmentos de cerâmica lisa e decorada com adição plástica em forma de mamilo; um outeiro e rochas com arte rupestre da Idade do Bronze e ainda uma cabeça de ídolo em cerâmica, bem como uma conta de colar em ouro.

A importância deste local é reforçada pelo aparecimento de um pingo de fundição que coloca este sítio arqueológico como um dos seis locais do Noroeste Peninsular onde se produzia bronze.

Desde a sua identificação, no início do século XX, este local já foi alvo de estudos por parte de Joaquim Rodrigues Santos Júnior e por arqueólogos como Emanuelle Anati e Elizabeth Shee Twohig.