Ferramentas Pessoais

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Você está aqui: Entrada / Notícias e Eventos / ALTINO MAIA – Xilogravura e Desenho

ALTINO MAIA – Xilogravura e Desenho

De 9 a 31 de maio as xilogravuras e desenhos de Altino Maia - obras da coleção da Câmara Municipal da Maia-, estarão em exposição aberta ao público no Centro Comercial Maia Jardim.

“Nasceu em Cidadelha, Santa Maria de Avioso, em 1911.
Ainda muito jovem trabalhou como carpinteiro, o que lhe forneceu experiência no trabalho de uma matéria-prima fundamental – a madeira, e domínio no manejo das ferramentas.
Depois, como muitos rapazes da sua família, passou pelas oficinas de santeiro de parentes, onde se iniciou no ofício de escultor
O seu talento, a sua capacidade criadora, o seu vanguardismo, granjearam-lhe algumas antipatias e algumas incompreensões.
No final da década de 30 ingressa nas oficinas gráficas do jornal O Primeiro de Janeiro. Pouco depois inicia os seus estudos na Escola Superior de Belas Artes do Porto, onde concluirá o Curso Superior de Escultura. Será no entanto apenas vinte anos depois que apresentará a sua tese, que o júri distinguiu com a classificação de 20 valores.
A qualidade do seu trabalho permitiu-lhe ser bolseiro do Instituto de Alta Cultura e da Fundação Calouste Gulbenkian. Com a primeira bolsa estudou em Espanha. Com a segunda, viajou pela Europa, contactando com outras realidades.
Exerceu a docência e ocupou cargos diretivos em diversas escolas, não só no Continente Português como em Angola. Participou em muitas exposições, individuais e coletivas.
Tem a sua obra espalhada por vários Museus, coleções particulares e instituições, tais como a Câmara Municipal da Maia, o Mosteiro de Singeverga e o Colégio de Lamego.
Pintor, escultor, gravador, foi uma figura multifacetada. Colaborou no suplemento literário do Primeiro de Janeiro, «Das Artes e das Letras», não só com ilustrações mas também com vários artigos sobre arte, nacional e estrangeira.
Um trabalho sobre a colaboração de Régio naquele matutino portuense, permitiu-me conhecer uma das suas facetas menos divulgada – a de retratista. Utilizando maioritariamente a xilogravura, Altino Maia consegue captar rostos fabulosamente expressivos de alguns dos grandes nomes das artes e das letras portuguesas e estrangeiras.
Veja-se este Eça, «maroto», como diria a minha Bisavó, este Oliveira Martins esboçando um sorriso, este Júlio Dinis mais sorumbático, e este Pessoa, de olhar profundo e perscrutante.
Altino Maia é um valor sólido e importante da Arte portuguesa do século XX.” JMM