Ferramentas Pessoais

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Você está aqui: Entrada / Notícias e Eventos / De Bach a Górecki – com emoção e funda espiritualidade…

De Bach a Górecki – com emoção e funda espiritualidade…

No âmbito do programa evocativo do bicentenário da segunda invasão francesa, o Pelouro da Cultura da Câmara Municipal da Maia, realizou na passada sexta-feira, dia 6 de Fevereiro, às 21h30, na Igreja de Nossa Senhora da Maia, um concerto coral sinfónico, pelo Coro dos Amigos da Academia de Música de Espinho e pela Orquestra Clássica de Espinho.

O programa compôs-se de duas partes, em que foram interpretadas as seguintes obras:

Parte I

Johann Sebastian Bach

Cantata nº 93 para Soprano, Contralto, Tenor, Barítono, Coro e Orquestra “Wer nur den lieben Gott lässt walten”

Parte II

Henryk Górecki

Sinfonia nº. 3 – (Simphony of Sorrowful Songs)

O elenco artístico era constituído pela Orquestra Clássica de Espinho e pelo Coro dos Amigos da Academia de Música de Espinho e contou com a participação dos cantores, Dora Rodrigues, Soprano (Sinfonia), Raquel Camarinha, Soprano, Margarida Reis, Contralto, João Cipriano Rodrigues, Tenor, Nuno Dias, Barítono.

A direcção do coro esteve a cargo de Fausto Neves e a condução do concerto foi da responsabilidade do Maestro Pedro Neves.

Considerando a riqueza do programa que apresentava uma primeira parte integralmente dedicada a Bach, com uma cantata, cujas estruturas musicais são consistentes, quer do ponto de vista melódico, como no que diz respeito à solidez harmónica, bem como no que se refere às várias intervenções solísticas dos cantores que sublinham a essência do carácter religioso da obra. E tendo em conta a segunda parte em que foi interpretada em estreia nacional, esta sinfonia de Górecki, uma obra profunda, cuja carga emocional pretende criar um ambiente de grande meditação, marcado pelos lamentos da voz humana que soou sobre uma espécie de tapete harmónico, denso e propiciador de um ambiente de alguma comoção, a razão que, provavelmente, levou o Maestro a escolher a obra para assinalar este bicentenário.

Estamos convictos que o público ali presente, sentiu que teve uma oportunidade única, de viver momentos de grande musicalidade e espiritualidade, num concerto certamente memorável e irrepetível, com entrada livre, uma das marcas indeléveis dos eventos promovidos pelo Pelouro da Cultura da Câmara Municipal da Maia, a par da qualidade das propostas estéticas e dos seus intérpretes.

Facto igualmente digno de boa nota, é a excelência das condições acústicas que a Igreja de Nossa Senhora da Maia proporciona aos artistas, para que produzam Música de altíssima qualidade.

Importa sublinhar o espírito de grande abertura do Pároco da Maia, Reverendo Padre Domingos Jorge, que aderiu de imediato ao projecto, franqueando as portas do Templo, com total sentido de cooperação cultural, na consideração dos enormes benefícios para toda a comunidade.

O edil maiato, Bragança Fernandes, apesar da sua carregada agenda, assistiu à primeira parte do concerto, tendo depois de se ausentar, para honrar outros compromissos, igualmente de âmbito cultural.