Ferramentas Pessoais

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Você está aqui: Entrada / Notícias e Eventos / (Re) Olhares - Exposição de Pintura no Fórum da Maia/ Centr'Arte

(Re) Olhares - Exposição de Pintura no Fórum da Maia/ Centr'Arte

Inaugura no próximo sábado, dia 1 de junho, às 22h00, no Fórum da Maia/ Centr'Arte, a Exposição de Pintura "(RE)Olhares" de Maria Clara Costa Oliveira. A exposição está patente ao público até ao dia 22 de junho 2013.

Manipulem seus medos e insatisfações, façam arte. A mente sem arte não é sagaz, descubra sua arte, descubra-se...” Cícero, Marcus Tullius

“A work of art is the unique result of a unique temperament .” Wilde, Oscar.

L’art nous attire que par ce qu’elle révèle de notre moi le plus secret.” Godard, Jean-Luc Jean-Luc.

“É nos valores que se complementam da forma e do conteúdo que na obra de arte, o belo se revela e se comunica e que o valor estético se afirma . Cunhal, Álvaro

 

A presente exposição é uma retrospeciva do percurso artístico de alguém que, aproveitando um talento natural, se socorreu da pintura como mais um instrumento que quis utilizar na sua afirmação integral enquanto Pessoa. Uma afirmação que passa, naturalmente, pela partilha (que implica, antes de tudo o mais, coragem) dos seus estados de alma, dos afectos e dos desafectos, das suas sensações e das suas percepções sobre as coisas, sobre os factos, sobre os locais, sobre os tempos, sobre os modos e sobre as circunstâncias. As suas e as que consegue apreender dos outros.

Como a vida não é linear e aparece (sobretudo a nós próprios, que somos os seus protagonistas, e a quem connosco interage) embrulhada numa espécie de incoerência, às vezes caótica, caracterizada por avanços e recuos e por afirmações e contradições, é absolutamente natural que uma exposição de natureza retrospectiva reflicta isso mesmo e com isso nos confronte com o carácter absolutamente dinâmico da vida, que nunca é uma recta, mas sim uma linha sinuosa, com curvas e contracurvas, com subidas e descidas, umas suaves outra violentas e abruptas, com descobertas permanentemente lembradas e outras deliberadamente esquecidas, com encantos e desencantos, com encontros e desencontros, com dúvidas (algumas meramente metódicas, outras de carácter permanente) e certezas (inequívocas ou apenas subtilmente adquiridas, mas nem por isso menos absolutas), capaz de fazer de nós, umas vezes, relâmpago e trovão, outras, o dador do abraço necessário aos apaziguamentos que nos solicitam e que nos são ditados por imperativo moral ou sentimental.

Os quadros, deliberadamente escolhidos pela Clara Oliveira para esta exposição retrospectiva, para além do seu valor artístico e estético – e aqui falamos em qualidade formal -, imediatamente constatável por quem os vê, trazem-nos a sua vida, pela percepção partilhada da mesma que ela mesmo faz. Cada quadro oferece-nos a sua visão do presente em que foi pintado, influenciado pela parcela consciente ou inconscientemente selecionada do seu passado, ao mesmo tempo que nos revela a sua expectativa de futuro, ou seja cada, um dos seus quadros é um ponto de chegada ou um ponto de partida sendo, no entanto e sempre, uma síntese e uma formulação de novas hipóteses.

É essa natureza – o ser, em simultâneo, um arrumar e um desarrumar - a única constância aprendível pela análise da pequena colecção exposta. O resto? Bem, o resto reside, de forma partilhada, no que ela sabe por conhecimento firmado e comprovado ou naquilo que ela sabe por mera, mas convicta, intuição, e no que nós (espectadores) sabemos por conhecimento firmado e comprovado ou, também, por mera intuição. E aqui, na parte que nos toca, é o entrar na anarquia que escapa totalmente ao controlo do artista. Anarquia provocada pela particular apreensão de todos os olhares que apreciarão o que aqui nos é, generosa e corajosamente, mostrado.*

 

Mário Nuno Alves de Sousa Neves
Vereador do Pelouro da Cultura da Câmara Municipal da Maia
 
  *Texto escrito em desacordo com o Acordo.

 

Maria Clara Costa Oliveira, nascida em 15-12-1952, natural da freguesia de Vila Nova da Telha, concelho da Maia.
Licenciada em Farmácia, pela Universidade do Porto; mestre em Análise Social e Administração da Educação pela Universidade de Aveiro.
Professora do 2º ciclo do ensino básico. Atualmente aposentada.

 

Horário: 2ª, das 18h00 às 23h00, 3ª a 6ª, das 09h30 às 23h00 e sábado, das 09h30 às 22h30.